segunda-feira, 16 de novembro de 2009

"Você que sabe"

"Se te perguntar sobre arte, me dirá tudo escrito sobre o tema. Michelangelo... sabe muito sobre ele: Sua obra, aspirações políticas, ele e o papa, tendências sexuais, tudo. Mas não pode falar do cheiro da Capela Sistina. Nunca esteve lá, nem olhou aquele teto lindo. Nunca o viu. Se perguntar sobre mulheres, me dará uma lista das favoritas. Já deve ter transado algumas vezes, mas não sabe o que é acordar ao lado de uma mulher e se sentir realmente feliz. É um garoto sofrido. Se perguntar sobre a guerra, vai me citar Shakespeare: "Outra vez ao mar, amigos... ", mas não conhece a guerra. Nunca teve a cabeça de seu melhor amigo no colo e viu seu último suspiro, pedindo ajuda. Se perguntar sobre o amor, citará um soneto, mas nunca olhou uma mulher e se sentiu vulnerável. Alguém que o entendesse com um olhar. Como se Deus tivesse posto um anjo na Terra só pra você; para salvá-lo do inferno. E sem saber como ser o anjo dela, como amá-la e apoiá-la pra sempre, em tudo... no câncer. Não sabe o que é dormir sentado num hospital por dois meses porque só o horário de visitas não é suficiente. Não sabe nada de perda. Porque ela só ocorre quando ama algo mais que a si próprio. Duvido que já tenha amado alguém assim. Olho pra você, e não vejo um homem inteligente e confiante. Só um garoto convencido e assustado. Mas você é um gênio, é inegável. Ninguém entenderia sua complexidade. Mas acha que me conhece por um quadro e disseca minha vida. Você é órfão, não é? Acha que sei de como sofreu, como se sente, quem você é... porque li "Oliver Twist"? Você se resume a isso? Pessoalmente, estou cagando pra isso, porque tudo que me diz eu poderia ler em livros. A menos que me conte sobre você, quem você é. Isso me fascinaria. Isso, sim! Mas não quer fazer isso, não é? Morre de medo do que poderia dizer. Você que sabe."
  • Fala da personagem Sean Maguire atuada por Robin Williams no filme "Um Gênio Indomável" (Good Will Hunting - 1997; Gus Van Sant).

Sem dúvidas é um dos filmes qu'eu mais aprecio e tenho como base para muitos pensamentos, pois de uma maneira cinematográfica exemplica um pouco do significado da frase "as coisas não são, significam". Tenho como especial essa parte interpretada por Williams na voz do personagem Sean, porque ele mostra a importância da experiência prática na nossa vida, na nossa personalidade; na noção de mundo que temos quando tratamos com o universo inteligível das idéias e o universo sensível da matéria. Desse ponto podemos vincular a idéia que as coisas não são delimitadas, mas sim ilimitadas de significados. É claro que para um mundo corrido, conceitual, capitalista e científico o homem passou a rotular certos objetos e sentimetos tornano-os universais e genéricos a fim de buscar uma razão e coesão com certas linhas teóricas e filosóficas. Todavia, é interessante analisar a vida nesse ponto de vista, uma vez que o ser humano dotado de razão, sentimentos e conciência sempre busca o significado daquilo que deseja - seja material ou não. E fica a critério de cada um quantificar e qualificar: "As coisas não são, significam... e é você que sabe."


Fernando Neves; Rascunho do Dia.

5 comentários:

  1. hm....esse filme eh mto interessante! qria comentar tbm a respeito de como o filme retrata a amizade...principalmente naquela cena em que ele fala para não jogar fora o "bilhete premiado". mostrando como que a amizade não se limita em apenas diversão...ou sempre estar junto de um amigo, mas como a preocupação em desejar sempre o bem para pessoa querida...nem que para isso sacrifique a sua compania. Aliás...eu não li nada sobre amizade...mas conheci o fernando, o renan, gordim...kkkk

    abraço fernando! tomara q esse comentário tenha sido pertinente...xD

    ResponderExcluir
  2. Mas é um porco mesmo!
    Eu fui lendo e fui percebendo que eu já tinha visto aquilo em algum lugar, na parte do "soneto"...
    Não assisti o filme, mas se já deve ter contado ele inteiro pra mim. x)

    ResponderExcluir
  3. são palavras bem colocadas.
    gostei muito mesmo.
    Realmente experiencias querem dizer muito mais que muita coisa.
    gostei da parte que fala do hospital, do amor, da amizade... enfim, quero ver esse filme.
    e sua filosofia é bem lírica e poética.
    gostei dela. Me lembra Mário Quintana. " As coisas não são, significam" "Não existem sinônimos, cada palavra tem sua carga e intensidade"

    ResponderExcluir
  4. Fodástico!!!!!
    Eu já ouvi essas palaras e não foram pela boca do Robin Willians..uAEHuHAeAe

    Eu ainda acredito na importancia das palavras..e mais na falta de sentido que elas fazem na maioria das vezes..

    O mundo das idéias. Eu encaro como a caixa de pandora e paraíso ao mesmo tempo. Pode enlouquecer, entorpecer, viciar e alterar tudo que você acha que sabe só de adentrar nele. Entre outras palavras é o fruto proibido, entre todos os pecados esse é o mais prazeroso..

    ResponderExcluir