domingo, 6 de abril de 2008

Dama d'água

Sentado à beira do rio
A Dama d'água vejo
E num reflexo rio:
- Oh, quanto gracejo!

Nas margens ela dança,
Nos cantos me encanta;
Num tom suave ela avança,
Num ar sublime me levanta.

Bálsamo das florestas;
Lúcido Delírio...
Perco-me em suas curvas arestas:
- Não! Não vá, meu Lírio!

Cantos melancólicos,
Lágrimas; a dança do Adeus.
Que não fosse assim, Deus!
Tristes sonhos bucólicos...

Fernando Neves; Racunho do Dia.

5 comentários:

  1. nao precisa falar nada..
    perfeito

    ResponderExcluir
  2. noossa krooss..
    q q se vai faze c. biologicas mano?
    vai faze letras e dar aula de redação..

    simplesmente destruidor!! o/

    ResponderExcluir
  3. nossaaa...
    mto lindo! adorei!!
    ^^

    ResponderExcluir
  4. Nem preciso dizer que so tua fãn né?!
    Um dia irei escrever metade do que voce escreve!!
    ;*

    ResponderExcluir